quarta-feira, 29 de maio de 2013

Sujeito.

Eu estou aqui me perdendo
E tentando achar um sujeito
Não tão bom como esse
que desapareça no oeste
que maldade  primitiva
que bondade elétrica
não força a paciência
te domina na essência
se perde no medo
sagrando por dentro
vomitando sentimentos
eu andando nas ruas vazias
eu andando sem doutrina
me perdi nessa trilha
sonhei aquela azul menina
com gosto de bebida
sem neurose minha filha
o cumpri a maldita
o cai fora da minha vida
cansei de me exprimir
sem arte sem fim
sou guerreiro
sou pesadelo
sou idiota o dia inteiro
sem medo de falar
compressa de ar
uma doença respiratória 
sem regra sem retórica 
meu sentido altivo
meu sorriso intrínseco
o sonho é perseguido
já desisti de meu umbigo
agora eu quero o mundo proibido 
sem causar danos 
magoando os planos 
subindo na vida 
sentido os pastos 
vivendo o gado
rastejando na estrada
machucado em etapa 
tento te atingir
se não consigo fingir
eu pego e caiu fora
sem lance de outrora.(L.L.C)  

Nenhum comentário:

Postar um comentário