domingo, 2 de junho de 2013

Sem medo de ir.


Eu finjo para você não perceber
Mas seus olhos são como meu scanner
os ventos de setembro batem
e as bocas babam por poder

eu sonho dezembro sem hipocrisia
mas ele vem com a mentira
e sai sem querer 
nos olhos quadrados  sem vencer 

os olhos da vida deixam cair 
o amor que já não tenho 
o amor que não quer existir
foi  todo para você sem medo de ir (L.L.C) 


Nenhum comentário:

Postar um comentário